Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

FIM da Trafulhice

Pelo exposto ao longo do presente documento -- Chega de fabricar crimes na secretaria - que para acabar com tais propósitos, a gravação de imagem e som é o remédio certo - complementado com o crime de enriquecimento inj.

FIM da Trafulhice

Pelo exposto ao longo do presente documento -- Chega de fabricar crimes na secretaria - que para acabar com tais propósitos, a gravação de imagem e som é o remédio certo - complementado com o crime de enriquecimento inj.

"Juro por minha honra desempenhar fielmente as funções em que fico investido e defender, cumprir e fazer cumprir a Constituição da República Portuguesa". Marcelo jurou sobre sobre a Constituição de 1976. Foto: António Cotrim/Lusa

 Senhor Presidente da República, Presidente da Assembleia da República e Primeiro-ministro: 

Como em tudo na vida a base fundamental para se poderemos desenvolver a encaminhar direito é a educação que no caso das drogas não o é diferente, por que ainda que pareça estar a tomar algum rumo nesse sentido, com as anunciadas casas de chuto... 
O certo é que a medida peca por tardio, quando já haviam de ter sido tomadas outras iniciativas a ir mais longe ao encontro das pessoas, onde os problemas ou necessidade dos serviços se identificam, e que para tal cabe fazer deslocar unidades de posto móvel, para ai junto dos locais de maior consumo, a exemplo das raives, concertos, discotecas (etc...), porque o grave problema não é o facto de consumir drogas por que elas existem essa é a realidade que temos de aceitar, quer se goste ou não, se consuma ou não, a problemática esta mesmo em educar para o consumo ou uso de drogas e, nesse âmbito garantir a qualidade dos produtos, que foi o que nos faltou em relação ao álcool, ainda que os tempos fossem outros, por isso não pudemos continuar a falhar em relação às drogas, que para tanto implica em seguir as boas práticas, a trazer melhor qualidade de vida para todos, seja consumidor ou não: Assistir a uma partida da selecção consumindo drogas como maconha, cocaína ou heroína será possível na Copa do Mundo da Rússia -2018 caso o espectador apresente um certificado médico. Tomar uma cerveja poderia dar mais dor de cabeça ao torcedor do que fumar maconha:https://istoe.com.br/certificado-medico-pode-dar-direito-a-fumar-maconha-nos-estadios-da-copa

Nessa mesma linha de raciocínio apare das drogas cabe em tomar medidas sérias em relação à prostituição, acerca da sua legalização e controle, por que em contrário a proibição, promove ou facilita favoravelmente ao tráfico de seres humanos em particular mulheres a serem vendidas como escravas sexuais, sujeitas a maus tratos ou a serem mortas, vitimas de proxenetas, e tudo mais quanto se sabe, a exemplo da proibição da droga que só beneficia as redes do narcotráfico, industrias farmacêuticas e demais parasitas a mamar, em torno da falsa criminalidade que não se verifica bem pelo contrário, são vitimas marginalizados, e como tal se deve proceder à reformulação da legislação do combate à droga (DL n.º 15/93, de 22 de Janeiro), a levar à imediata libertação dos detidos em reclusão nas cadeias e à extinção dos processos em curso, tanto sobre os crimes relacionados com tráfico ou consumo de drogas, como do falso crime de lenocínio simples, sob pena de se encontrarem detidos ilegalmente como presos políticos ou das politicas erradas criminosas, como de resto se tem vindo àpelar junto do puder politico ou legislativo aquém implica tomar medidas sérias, assumir responsabilidades com carácter de urgência conforme o primado politico em democracia assim o exige: https://atoscorruptos.blogs.sapo.pt/sem-legalizacao-nao-se-pode-falar-de-189538

 

Nessas circunstâncias a combater o défice democrático de que a justiça tanto carece para se poder tornar mais humana, não restam assim quais queres dúvidas de que alcançaremos os objectivos com uma economia mais forte a poder pagar salários condignos justos - consequentemente acarretar melhor qualidade de vida para todos, que com esse espírito, se submete o presente aos especiais cuidados dos servidores políticos ao abrigo do Artigo 52 da CRP), na expectativa de que possam vir a ser operadas as reformas propostas, requeridas ou solicitadas, impedindo desde logo em se reconhecer, que liberdade não se faz com ordenados de 600 euros ao que se exige o aumento do salário mínimo para 800 euros que ainda assim escasso, minimamente aceite.

 P.D.

Raul Caldeira

 

SE DESEJAR CONTRIBUIR ASSINE: http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT89235

 

 ----- Mensagem encaminhada de Raul Manuel Quina Caldeira Soares da Silva <raulcaldeira@sapo.pt> -----
   Data: Mon, 30 Apr 2018 17:22:45 +0100
     De: Raul Manuel Quina Caldeira Soares da Silva <raulcaldeira@sapo.pt>
Assunto: PELA LIBERDADE, JUSTIÇA, ECONOMIA, EM DEFESA DE UM ESTADO DE DIREITO
   Para: Presidente <belem@presidencia.pt>
     Cc: Assembleia republica <correio.geral@ar.parlamento.pt>, 1º ministro1 <seamaap@maap.gov.pt>

 

 

1 comentário

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D

Favoritos