Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

FIM da Trafulhice

Pelo exposto ao longo do presente documento -- Chega de fabricar crimes na secretaria - que para acabar com tais propósitos, a gravação de imagem e som é o remédio certo - complementado com o crime de enriquecimento inj.

FIM da Trafulhice

Pelo exposto ao longo do presente documento -- Chega de fabricar crimes na secretaria - que para acabar com tais propósitos, a gravação de imagem e som é o remédio certo - complementado com o crime de enriquecimento inj.

 

 Foto de Depois dos 50.

A saber fui detido no dia 11 de Outubro de 1995, vindo posteriormente a ser condenado e libertado a 12 de Março do ano 2008, sem que as testemunhas, que criaram, fomentaram e investigaram, o tenham vindo a ser arroladas, pela acusação, e pelo que o tribunal, não se empenhou em garantir os depoimentos dessas pessoas, sujeitos à sua avaliação, acerca do que viram, ouviram, presençiaram, que para tanto se realiza a audiênçia de julgamento, em que às partes lhes cabe a igualdade de armas, o que não se verificou (foi a talhe de foice).

 
O tribunal impediu astuciosamente, para que não se apurasse a verdade, não lhe sendo permitido, ao arguido, provar a sua culpa, para que não fossem assacadas as responsabilidades aos " inocentes " : http://atoscorruptos.blogs.sapo.pt/autor-raul-caldeira-proc-no-77297-le-56613
 
Que para tanto o " advogado " do arguido antes se havia refutado abrir a instrução a tornar a acusação como arguida ( artigo 120 CPP), e pelo que posteriormente veio a enterpor recurso, não para o tribunal competente, que o seria o tribunal da Relação, e nem sequer ficou lavrado em ata, as afirmações produzidas: Como se confirma do acordão proferido, pelo Supremo Tribunal de Justiça, que de resto também não se póde eximir da sua conivênçia com práticas tão cruéis, que para tanto o veio a confirmar a medida da pena aplicada pelo tribunal de 1ª instânçia: https://fotos.web.sapo.io/i/G29110eb3/14042365_Wwouq.jpeg
 
Inconformado, veio o arguido a entrepor - Um Recurso Extraordinário de Revisão de Sentença: http://atoscorruptos.blogs.sapo.pt/docos-no-55-55-a-e-55-b-recurso-de-103131 mas que não se pôde conheçer do seu resultado ( à luz da alinea c) artigo 119 CPP), pelo que regressou de volta ao tribunal de origem 1ª instânçia e por lá se encontra àguardar por um advogado que então se digne a subscrevêlo e o venha a submeter novamente, junto de quem de direito - que de resto o despacho, só veio a surgir e com um espirito arrebatador, ao fim de nove meses ( encontrandosse o arguido preso), na sequênçia de denunçia junto do Senhor Presidente da Assembleia da Republica à altura dos factos Mota Amaral (foi de bradar aos céus).
 
Após a minha libertação, de tudo tenho feito, para prosseguir, uma vida normal tranquila de trabalho, como sempre o fiz, com responsabilidade pelos meus atos ( ao contrário do que outros o fizeram, e assim continuam), e para o que vim a constituir uma nova familia, que esta desfeita, sendo difiçil de recuperação, dado à " proteção " que me continua a ser garantida, por parte de quém têm a obrigação o poder-dever de acautelar os legítimos interesses dos cidadãos e não violá-los.
 
Assim volvidos 22 anos que então se completam no proximo dia 11 de Outubro, encontrome a ser alvo de proçedimentos tão escabrosos, desumanos, criminosos e por isso passivéis de procedimento Judiçial, mas que na verdade continuo sem acesso ao dirteito e aos tribunais, sendome retirado os direitos da defesa, consignados no artigo 32 da CRP - o que implica a sua assistência por um causídico - nº1 artigo 64 do CPP. - como o por demais solicitado: http://atoscorruptos.blogs.sapo.pt/7-de-abril-do-ano-2017-contestacao-42809
 
Condição que então se exige, mas não se garante, para que não sejam condenados, os atos louvavéis de gente tão ilustre, aproveitar aos demais intervenientes, que para tanto, vim a ser emboscado, para me submeterem ao silênçio - quando então o aguardava pela nomeação de um causidico: http://atoscorruptos.blogs.sapo.pt/24-de-maio-o-arguido-nao-esta-preso-nem-53026
 
Salvo o devido respeito, o arguido pediu a aplicação da medida de " habeas corpus " em forma de prevenção o que tem cabimento juridico, e o Supremo Tribunal de justiça sabe e muito bem disso mesmo: http://atoscorruptos.blogs.sapo.pt/25-de-abril-sempre-pedido-de-40638
 
Pois na verdade, em proçedimento normal é de pressupor que qualquer notificação o venha a ser efetuada por correio via CTT, alertando desde logo na convocatória a chamar à atenção, que no caso de faltar, fica-se sujeito à sua detenção e condução ao tribunal, pelas autoridades, de modo a poder garantir a sua presença no ato para que foi convocado.
 
Ora assim importa em esclareçer, quanto à maquinação, que por ultimo, conduziu astuçiosamente à emboscada, sendo que muito tempo antes, veio, uma patrulha, a procurarme na residênçia de um familiar meu irmão, dizendome um elemento da guarda, que o Cabo Serafim (meu amigo), queria falar comigo, pelo que lhes transmiti, que estava de saida a ir Abrantes, ver de uma peça para o carro ( a junta da cabeça, que se encontrava queimada), que de volta passava pelo posto.
 
Mal havia saído, voltaram a tocar à campainha, pelo que foram atendidos pela minha esposa, que me ligou a dizer que a GNR tinha voltado novamente, à minha procura, e disseram que era para ir falar com o Capitão, e pediu-me que não demorasse.
 
Quando cheguei, encontravasse a chorar e muito nervosa e pelo que então resolvi abandonar a zona de conforto e o meu trabalho, para a colocar a salvo e regressar de volta (sózinho), para ver o que se estava a passar, que coisa séria não se afigurava, que como sempre, foi mais do mesmo.
 
Perante as circunstâncias, falei com um amigo, que me veio assegurar o meu serviço, a transportar os meus sobrinhos (um para a escola de ensino especial, o outro para um curso de formação), conjuntamente, com uma familiar minha irmã, quando esse não o podia fazer.
 
E lá fomos então para casa de pessoas amigas que nos acolheram e que me foram arranjando alguns trabalhos na área da construção civil, e assim consegui granjear algum dinheiro, e levei a minha esposa a uma consulta de psiquiatria, mas foram mais de 5 anos de massacre-perseguição, desde que ela havia chegado e pelo que a rotura o veio mesmo acontecer.
 
Sendo que muito antes do ocorrido, o havia alertado a técnica da (DGRSP), como se encontra bem audivél das gravações de viva voz, que realizei à revelia " para defesa do bom nome imagem e profissionalismo da senhora ", sobre a forma como esses serviços, elaboram os relatórios (COMO O SISTEMA FUNCIONA NO SEU TODO) o retrato para o Juiz melhor conheçer (para decidir que no caso do arguido), tal como o então afirmado, pela técnica Irina Quental, Cf: http://atoscorruptos.blogs.sapo.pt/3-contestacao-enviada-ao-doutor-16788
 
Após a separação, cada um para seu lado, ela partiu eu fiquei, aproveitando os trabalhos, quando a minha irmã me comunicou que umas técnicas dos serviços junto da (DGRSP), me tinham procurado, a perguntar à quanto tempo não me via, quando na verdade se encontravamos em contacto: http://atoscorruptos.blogs.sapo.pt/25-de-abril-sempre-pedido-de-40638
 
Assim regressei de volta, e para o que vim assumir as minhas tarefas, mas que fui impedido de o poder fazer, a ganhar a vida, a viver em paz, livre e feliz - até que se resolvam acabar com a prepotênçia, a perseguição que me movem, a mim e aos meus familiares, e para o que se opoêm, contra a abertura e funçionamento do meu estabeleçimento, de que disponho, e que na vila e redondezas todos anseiam pela sua abertura, depois do sucesso atingido enquanto Discoteca Old Fashion e posteriormente Bar Às de Copas, que se apresenta agora sob a dominação de Castelo do Tramagal, com um espirito arrebatador, como sempre, para atingir o sucesso, sendo um direito que me assiste, sem que para tanto o seja obrigado a pagar ou a ceder perante quaisqueres interesses: https://www.facebook.com/castelodetramagal
 
Pois na verdade os (2) dois militares da guarda, ao pretenderem colocar-me no carro-patrulha a mal e à força, no mínimo se vislumbra uma tentativa de sequestro ( encapotada de legalidade), sem qualquer justificação - para além de berros e com o guarda Mineiro a lançarme as mãos ao pescoço, com contornos de vinganças.
 
Perante o ocorrido tornei os factos ao conhecimento publico, através das redes sociais: vindo esse mesmo guarda Carlos Mineiro a colocar um gosto, quando antes-me deitou as mãos ao pescoço com violência.
 
Tantas mas tantas queixas o tenho vindo apresentar ao longo de mais de (2) duas décadas, que acabam sempre arquivadas e por isso a sofrer represálias - em que o (MP) até me acusa de manter um diário online em blogs e sites: http://injustissadosunidos.wixsite.com/s-o-s-portugal/noticias?fb_comment_id=162989723861785_450991 : Que para tanto fui alvo de buscas conjuntamente com os meus familiares, e pelo que levaram 3 computadores, para me submeter ao silêncio num severo ataque à liberdade de expressão.
 
Pois na verdade o que se passou, resulta de um conluio arquitetado entre os serviços do (MP), a técnica da (DGRSP), o Comandante do posto do Tramagal (...), num clima de ajustes de contas, por denunciar agentes e funçionários do estado a que chegámos.
 
Modéstia à parte, lamento qualquer erro ou falta de pontuação, tendo-se em conta o facto de já ter abandonado a escola de à muitos anos, e pelo que apenas disponho do 6º ano de escolaridade, sendo que a minha instrução primaria o foi assegurada por uma regente a Dona Amélia da Piedade Cortes Raposinho, a toque de cana da india e da régua dos 5 olhos como assim se designava - ainda que nem a régua nem a cana me tenham tocado.
 
 Assim me encontro de novo ausente da minha area de residênçia a ser perseguido e sem que tenha vindo a reçeber qualquer convocatória do tribunal - ou me fosse nomeado um defensor assegurar a minha assistênçia para efeitos de recurso e abertura de instrução - do que resulta o crime de denegação de justiça e prevaricação ppº artigo 369 CP. http://atoscorruptos.blogs.sapo.pt/7-de-abril-do-ano-2017-contestacao-42809
 
Raul Caldeira

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2023
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2022
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2021
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2020
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2019
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2018
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2017
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2016
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D

Favoritos