Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

FIM da Trafulhice

Pelo exposto ao longo do presente documento -- Chega de fabricar crimes na secretaria - que para acabar com tais propósitos, a gravação de imagem e som é o remédio certo - complementado com o crime de enriquecimento inj.

FIM da Trafulhice

Pelo exposto ao longo do presente documento -- Chega de fabricar crimes na secretaria - que para acabar com tais propósitos, a gravação de imagem e som é o remédio certo - complementado com o crime de enriquecimento inj.


Lisboa, 20/12/2015 - Declaração do Primeiro-Ministro António Costa, sobre a venda do Banif ao banco Santander por 150 milhões de euros, na residência oficial do Primeiro-Ministro em São Bento.

 

----- Mensagem encaminhada de Raul Manuel Quina Caldeira Soares da Silva <raulcaldeira@sapo.pt> -----
   Data: Wed, 27 Sep 2017 00:28:33 +0100
     De: Raul Manuel Quina Caldeira Soares da Silva <raulcaldeira@sapo.pt>
Assunto: CONTESTAÇÃO AO DESPACHO PROFERIDO PELA PGR !
   Para: 1º ministro1 <seamaap@maap.gov.pt>

Senhor primeiro-ministro

O cidadão, Raul Manuel Quina Caldeira Soares da Silva, vêm " mui " respeitosamente ao abrigo dos artigos 52, 271, 219, 203, 37, 22, 21, 20 e 13 da CRP. - A implorar a Vª. Excelência, que se digne, interceder, junto da Senhora Procuradora-Geral da Republica, acerca dos motivos ou razões, que a levam a se eximir às suas responsabilidades, descartando o arguido, de volta, às mãos, dos SERVIÇOS contra quém se vêm a queixar de hà mais de (2) duas décadas a esta parte,  como é sobejádamente do conhecimento do senhor primeiro-ministro e demais edilidades, influentes pelos destinos do país, cujos serviços, por demais colocados em causa, como uma vez mais, se passa a contestar, com o seu inicio a partir do despacho da PGR : 

De: MP <progest@pgr.pt>
Enviado: 15 de setembro de 2017 12:13
Para: raulcaldeira@hotmail.com
Assunto: DA n.º 4393/17 - Resposta à exposição enviada à Procuradoria-Geral da República

Exmo. Senhor


Raul Manuel Quina Caldeira Soares da Silva


Tenho a honra de informar V. Exa. que a exposição enviada, por email, à Procuradoria-Geral da República, registada com a entrada n.º 6951-17 do DA 4393/17, foi remetida ao cuidado do Senhor Magistrado do Ministério Público Coordenador da Procuradoria da República da Comarca de Santarém, por ser a entidade com competência material e territorial para a apreciação da temática suscitada: http://atoscorruptos.blogs.sapo.pt/perseguido-sem-acesso-ao-direito-e-aos-73816

Com os melhores cumprimentos


O Assessor


Raul Farias

 

Dessa feita, antes implica invocar o que se expressa no site do DCIAP. -  No que toca á proteção de testemunhas, quando na verdade (ao invés) o que se verifica é perseguição, contra quem denuncia, agentes ou funcionários do Estado, pela prática de crimes por ação ou omissão de funções, em que se forjam e maquinam processos a partir da denuncia à investigação, a culminar em condenações arbitrárias, por falta de inparcialidade do tribunal, com a envolvente de advogados que se lhes abre as portas (astuciosamente ) através dos serviços do MP , pelo que cabe decidir em função dos factos e não dos estatutos dos seus intervenientes, a não ser em função da medida da pena aplicar a essas pessoas, por as suas condutas, o serem merecedoras de um maior reparo etico-juridico, quando ainda por cima o passam inpunes: http://atoscorruptos.blogs.sapo.pt/criminalidade-organizada-dentro-do-54872

A  procuradora joana Marques Vidal reconheçe,  que " Ha uma rede que utiliza o aparelho do Estado " para a corrupção, Cf https://www.publico.pt/2015/02/25/sociedade/noticia/ha-uma-rede-que-utiliza-o-aparelho-de-estado-para-a-corrupcao-1687233

Ainda assim, essa a mesma procuradora, continua a permitir o jogo de pingue pongue, em que a responsabilização dos culpados: se continua a traduzir, em promoções e condecorações: http://estanahoradaverdade.blogs.sapo.pt/716.html por submeter pessoas à miséria, conduzindo a levar à morte, sendo que num curto espaço-tempo, após a detenção do arguido, já haviam falecido 10 das vitimas (pessoas jovens na flor da idade), pelo que  a diferença entre corruptos e terroristas, EM comum SÃO assassinos, porque o contrário é que não se verifica : http://atoscorruptos.blogs.sapo.pt/denuncia-queixa-dirigido-a-policia-70366 

Salvo o devido respeito a Procuradora-Geral da Republica, ao sacudir a àgua do seu capote, a devolver a queixa, para os serviços colocados em causa, em nada, surprende, se não se tentar em descurar, que logo que tomou posse o veio a ser alertada nesse sentido: De que era necessária muita coragem, para limpar a casa, que os seus antecessores deixaram, Data: Thu, 15 Nov 2012 23:04:17Cf: http://atoscorruptos.blogs.sapo.pt/15-de-novembro-dirigido-a-75682

Assim veio o peticionante a sofrer as seguintes considerações ou melhor consequências, sujeito a represálias por não se submeter ao silênçio, ao insistir para que as suas causas o possam ser submetidas à sua apreciação, por um tribunal independente e inparcial, que decida dos seus direitos e deveres, quando ainda por cima os arguidos se encontram sujeitos â sua assistência por um advogado, impedidos de fazer presvalecer a sua inocência, ainda que se prove, mas que de nada vale, somos condenados e presos, como criminosos, para o que habilidisamente se forjam processos, http://atoscorruptos.blogs.sapo.pt/a-constituicao-da-republica-quando-foi-61413     - A sacar cidadãos, numa tremenda vergonha pra justiça, no fundo o Estado de direito democrático que sai de rastos: http://atoscorruptos.blogs.sapo.pt/7-de-abril-do-ano-2017-contestacao-42809 

Pelo exposto a procuradora Joana Marques Vidal, agiu deliberadamente, de forma bem consciente, que da sua conduta incorre a prática de crime de Denegação de Justiça e prevaricação ppº. artigo 369 CP . - ao que se torna inprescindivél a investigação passar ao dominio da (PJ) afim de pôr têrmo ao clima de inpunidade: http://atoscorruptos.blogs.sapo.pt/o-problema-e-comum-independentemente-de-48469 

O peticionante pede a paz e para que se investigue das circunstâncias em que se encontra a ser perseguido, que para tanto, lhes sejam assegurados os seus direitos constitucionalmente consagrados, na expectativa de não  vir a sofrer mais represálias, por agir em defesa dos seus legitimos interesses, ao que se espéra uma reação adequada.

Pede deferimento,

Raul Manuel Quina Caldeira Soares da Silva



----- Fim de mensagem reenviada -----

 

Governo de Portugal

De: Portal do Governo - Primeiro-Ministro <noreply@portugal.gov.pt>

Enviado: 27 de setembro de 2017 00:48
Para: Raul Manuel Quina Caldeira Soares da Silva
Assunto: CONTESTAÇÃO AO DESPACHO PROFERIDO PELA PGR !

[Governo de Portugal]
[Governo de Portugal]
O seu contacto foi recebido com sucesso no Portal do Governo de Portugal. Seremos tão breves quanto possível na resposta.

AVISOS LEGAIS
Recebeu este e-mail porque efetuou um contacto no Portal do Governo de Portugal. Este e-mail é gerado automaticamente. Por favor, não utilize este endereço de correio eletrónico, pois este não é monitorizado.

 

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D

Favoritos