Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

FIM da Trafulhice

Pelo exposto ao longo do presente documento -- Chega de fabricar crimes na secretaria - que para acabar com tais propósitos, a gravação de imagem e som é o remédio certo - complementado com o crime de enriquecimento inj.

FIM da Trafulhice

Pelo exposto ao longo do presente documento -- Chega de fabricar crimes na secretaria - que para acabar com tais propósitos, a gravação de imagem e som é o remédio certo - complementado com o crime de enriquecimento inj.

santana_maia-leonardo_tomada-posse-Ordem-Advogados

 --- Mensagem encaminhada de Santana-Maia Leonardo <sml@outlook.pt> ----

Data: Thu, 6 Nov 2014 16:06:59 -0000
De: Santana-Maia Leonardo <sml@outlook.pt>
Assunto: Re: URGENTE, NOVO PROCESSO 55/13 .8GDABT
Para: Raul Manuel Quina Caldeira Soares da Silva <raulcaldeira@sapo.pt>

Boa tarde!
 
Procurei encontrar uma solução que acabou por não lhe agradar.
Acontece que não existe outra solução do ponto de vista legal.
 
Atenciosamente
Santana-Maia Leonardo
 
Sent: Thursday, November 06, 2014 1:05 AM
Subject: URGENTE, NOVO PROCESSO 55/13 .8GDABT
 

Doutor: a continuação do filme é o processo  novo- o da venda da cortiça, em anexo: https://atoscorruptos.blogs.sapo.pt/burloes-a-coberto-da-gnr-e-do-mp-de-2517


Agora tenho de ir para Santarém, para complementar a farsa a que a procuradora chama de inquérito -  Cf. notificação em anexo: 

CONVOCATORIA PARA SEGUNDAS DECLARAÇÕES 3.jpeg

Encerraram os tribunais, quando o problema são as pessoas. A trampa continua, só mudaram de pousadouro, pelo que agora tenho de ir sei la quantas vezes mais longe, para mais uma trapalhada, dos mesmos serviços do (MP) do tribunal de Abrantes, agora, a partir da sua casa nova, em Santarém. Pelo que continuam agir de ma-fé, ao invés das obrigações a que se encontram sujeitos. - Bem sabendo que da falta de procedimento em conformidade - incorrem, no ppº. no art.º 369 do CP. - Mas nada se passa -  sabem que nada lhes acontece - pelo que o clima de impunidade, continua, em roda livre - ao invés do proclamado pela ministra da justiça.


Pois na verdade, a justiça continua a ser feita nos meandros dos gabinetes, às escondidas, é ai que as coisas se tecem  ( nos bastidores), o fato é à medida do freguês, só engendrações, e montagens, um autêntico jogo de batota - que como lhe transmiti: a procuradora só escrevia o que lhe apetecia -  porque se assim não fosse, não tinha vindo agora a convocar-me para complementar o inquérito, ou melhor - já tinha vindo arquivar a farsa, que no mundo civilizado, não pode gozar de outra sorte.

Desse modo, para melhor segurança de pessoas e bens, em bom rigor, em abono da transparência de que a justiça tanto carece: Exijo assim, que as minhas declarações, fiquem registadas em áudio-visual - porque quem não deve não teme - eu temo é a corrupção as máfias do sistema.

E faço questão em ser ouvido por essa mesma procuradora que detém o processo, mas seja la por quem for, exijo que o meu depoimento fique registado em sistema de imagem e som, porque se assim tivesse acontecido, não era necessário, voltar a prestar declarações, não estava agora, a ser incomodado, a entrar em  despesas desnecessárias - e enquanto importa isso, aos  bolsos dos contribuintes?

Vamos acabar com o banquete, o jogo de interesses, as injustiças, a vigarice, o enriquecimento ilícito, as vinganças, ou seja la o que for. Estamos no  terceiro milénio, pelo que agradeço que o senhor venha a diligenciar, junto da procuradora, até porque será a maior interessada na transparência da coisa - em defender o seu bom nome, imagem e profissionalismo, como aliás, é de seu poder dever  - prestar contas, pelas suas praticas, que para tal se encontra a ser remunerada.


Não admito tão tremenda ofensa, dai que não prescindo das minhas pretensões (imagem e vozes) - alertando, para que caso os meios, possam ainda estar avariados, como é de pressupor ( mas mesmo que já se encontrem operacionais), ainda assim, propunha para que fosse permitida a presença dos órgãos de comunicação-social, para melhor segurança de pessoas e bens.
 
Não há nada em segredo de justiça, aqui não há mistérios por desvendar, e se os houver, cabe à justiça desvendá-los, e não ocultá-los - dai que a procuradora concordara certamente e tomara as medidas necessárias de forma a poder assegurar, o bom desempenho por parte dos profissionais da imprensa.
 
Vivemos há 40 anos em aparente democracia, porque se assim não fosse, essas coisas do papão à imagem dos vermes no passado monstro, não seriam permitidas.

Doutor: esta é a minha posição processual, pelo que estou pronto para defender os meus legítimos interesses, a minha honra. Vendi a cortiça com todo o direito, como a procuradora o sabe e muito bem. O comprador é que se envolveu em união de esforços com os vigaristas do terreno, e recusou-e a tira-la   ( jogo sujo), a honrar os seus compromissos, esses sim, são os burlões a coberto dos corruptos ao serviço da guarda e do (MP): http://portugal100lei.blogs.sapo.pt/

Direito de resistência. - Todos têm o direito de resistir a qualquer ordem que ofenda os seus direitos, liberdades e garantias e de repelir pela força qualquer agressão, quando não seja possível recorrer à autoridade pública (artº.21 CRP).

Como posso resistir, se até já emitem mandatos de captura para me levar a desistir, de denunciar os crimes praticados por agentes e funcionários do estado, que usam e abusam do poder - pelo que também recebi agora o despacho, de quando contactei o doutor:
http://estanahoradaverdade.blogs.sapo.pt/4120.html

Contra factos não há argumentos, pelo que pretendo reagir ao embuste - depois envio no despacho, e respectivas observações à coisa.


Como posso resistir, contra esses intocáveis, que tudo fazem, para me silenciar. Pelo que há (18) meses, que me vêem a manter -  com termo de identidade e residência - para me manterem em silêncio:http://outroladodalei.blogs.sapo.pt/1947.html

Perante essa panóplia - sem que venham a ser satisfeitas as minhas pretensões, podem-me mandar prender, porque nada vou declarar.

Temo assim, pela minha liberdade e segurança.

Diga-me de sua justiça, e fale-me dos seus honorários, no que toca ao novo processo, para que possa vir a providenciar nesse sentido - lembrando que é no dia 10, pelas 10 h.


Grato pela atenção,

Raul Manuel Quina Caldeira Soares da Silva
 
 
----- Fim de mensagem reenviada -----
 
 

11-12.2014 CONTINUAÇÃO DO MASSACRE PARA NOVO INTERROGATÓRIO PELOS SERVIÇOS DO (MP) APESAR DO ARGUIDO TER SOLICITADO AO DRº. SANTANA MAIA LEONARDO PARA QUE FOSSE FALAR COM A PROCURADORA, MAS NÃO FOI ESTAVA TUDO FEITO: https://solidariedade-impunes.blogs.sapo.pt/processo-proc-5513-8gdabt-2545

 

 

 

 

 

 

 

                                         

 

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2024
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2023
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2022
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2021
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2020
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2019
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2018
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2017
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2016
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D

Favoritos